Biografia

Nascida na cidade do Rio de Janeiro, Gabi Buarque, cantora, compositora e instrumentista, mostrou-se geminiana desde cedo. Herdou de sua mãe o dom de desenhar e improvisar soluções com pouco material. Ganhou aos 11 anos uma poesia de seu pai, engenheiro e professor, que lhe ensinou a batalhar pelos seus sonhos com perseverança e cautela.

A arte sempre esteve presente na sua vida. Os passeios culturais em família, teatro, dança, folclore, pintura e as férias no sítio dos avós serviriam mais tarde de inspiração para suas canções. E foi no coral do colégio que Gabi entoou suas primeiras notas, desde então a música caminha a seu lado.

Aos 17 anos Gabi Buarque começa a cantar profissionalmente, inicia a faculdade de Desenho Industrial e o Curso Técnico de Canto Popular. Não faltou muito pra que a música falasse mais alto. No entanto, concluiu ambos os cursos e desde esta época só vive de música: gravações, shows, eventos e aulas de canto.

“A minha música é um espelho do que ouço, vejo, sinto, penso e vivo.” O processo de composição surge por influência de amigos da Escola Portátil de Música, um ambiente com profusão de encontros musicais. Ali também desenvolve seu violão e cavaquinho, além do canto de samba-choro. A escrita veio depois, através do livro “Água Viva” de Clarice Lispector que lhe apontou a poesia em prosa, o fluxo de ideias e o nome do seu primeiro cd.

Em 2011, Gabi lança o cd autoral “Deixo-me acontecer”, produzido em parceria com Mig Martins. A diversidade de ritmos O cd recebe crítica favorável do jornal O Globo e Tribuna de Minas. Os shows de lançamento contaram com as participações de Hermínio Bello de Carvalho, Marcos Sacramento, Alfredo Del Penho e Pedro Miranda.

Em turnê internacional com o segundo cd “Fiandeira”, a cantora e compositora carioca apresentou-se nas cidades de Tóquio, Saitama, Shin-Yurigaoka e Yokohama (Japão, 2016). Citado na Lista de Melhores CDs de 2015 pelas revistas japonesas LATINA e FÍGARO, “Fiandeira” foi lançado no Rio de Janeiro, Manaus e Belém, com participações de Jaques Morelenbaum, Marcos Sacramento e Socorro Lira, em novembro de 2014. Com crítica favorável do Jornal O Globo e participação no Programa “Sr. Brasil” – TV Cultura SP.

Em 2017 realiza uma turnê de 22 concertos durante o verão pela Europa (Portugal, Galiza e França), dentre eles, Festival de Verão em Tavira, Teatro Ribeiro Conceição, Pensão Amor, La Bellevilloise, etc. O sucesso da temporada rendeu convites e Gabi retorna à Portugal nos meses de outubro a dezembro.

Prêmio Grão de Música pela canção “Roda de Coco” (2014), Prêmio de 2º lugar no Festival Samba e Petiscos em Miraí-MG pelas canções “Alguidar”(2013) e “Gafieiríssima”(2014), Troféu de Melhor Intérprete no Festival das Rádios Públicas do Brasil pela canção ”Sofro, Sim” (2010). A canção “Lea” é trilha sonora do filme “Ibiti, o que?” (2015).

Além do seu trabalho autoral, a cantora também participa de projetos que integram música e poesia. Em 2015, Gabi Buarque foi convidada a prestar uma homenagem aos 50 anos de carreira de Maria Bethânia, ao lado do pianista Tomás Improta. No repertório, canções consagradas na voz da intérprete, além de poemas de Hilda Hilst, Florbela Espanca, Maria Rezende, Alice Ruiz. Apresentações no Sesc Tijuca, Centro de Referência da Música Carioca, Iate Clube, Livraria Arlequim e Espaço Roda D’Água (Cabo Frio).

Criadora do espetáculo “Gabi Buarque canta Chico, versos de Fernando Pessoa”, apresentado em São Luis do Maranhão, no Teatro da Cidade, Manaus (AM) no projeto Tacacá na Bossa, no SESC Engenho de Dentro, SESI de Jacarepaguá, Vicente de Carvalho, Macaé, Forte de Copacabana, Livraria Arlequim e Rádio MEC.

Idealizadora e roteirista, juntamente com Carla Vergara, do projeto baseado na obra de Manoel de Barros, “Música para Manoel” – poesia, música, dança e teatro em manoelês – com apresentações no Espaço Nirvana, Clark Art Center, Livraria Arlequim e Teatro SESI – Centro.

Como integrante do Bloco Mulheres de Chico por 3 anos, se apresentou para mais de 100 mil pessoas no desfile de carnaval nas Praias do Leblon e Leme, Viradão Carioca, Circo Voador, Teatro Rival, Bar do Tom, além de fazer turnês pelo país.

foto: Tati Domais